Sistemas complexos é tema de novo grupo de trabalho na USP

Físicos e químicos da USP de São Carlos pretendem construir uma rede internacional de pesquisas que abordem questões de complexidade

Reportagem: Rodrigo Cabrera

 Hamilton Varela: “Por mais que se conheça a fisiologia de um neurônio, muito pouco se sabe sobre suas propriedades”

Hamilton Varela: “Por mais que se conheça a fisiologia de um neurônio, muito pouco se sabe sobre suas propriedades”

A comunidade internacional de pesquisas sobre complexidade entra em 2009 reforçada pela criação de um novo grupo científico no Instituto de Estudos Avançados de São Carlos (IEASC), na Universidade de São Paulo (USP).

O Grupo de Trabalho em Sistemas Complexos (GTSC), criado em 2008, coordenado pelos professores Yvonne Primerano Mascarenhas, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC), Hamilton Varela, do Instituto de Química de São Carlos (IQSC), e Sérgio Mascarenhas, coordenador do IEASC, irá contribuir para as pesquisas e o desenvolvimento de projetos focados nas áreas em que física, química e biologia têm uma interface.

Atualmente o GTSC está sendo estruturado. Colaboradores de diferentes grupos no Brasil, EUA, Alemanha e Coréia do Sul confirmaram a participação. Entre as atividades previstas para 2009 estão um ciclo de palestras e um workshop.

Para a professora Yvonne Mascarenhas, é importante promover e fundar a ciência de base, sem restrições sobre sua aplicação na saúde, agricultura e indústria. “Precisamos de pessoas altamente qualificadas dedicadas às “ciências duras”, que contribuam para melhorar e atualizar a educação científica básica”, afirma.

Pesquisas na área dos sistemas complexos vêm sendo desenvolvidas há muito tempo e envolvem áreas tão diferentes quanto química, física, geologia, biologia, sociologia, educação e economia, entre outras. Bastante difundida na Alemanha e E.U.A, a nova metodologia já conta com alguns grupos de estudo no Brasil. “Mas o avanço das pesquisas brasileiras em questões de complexidade ainda requer um esforço para integrar internacionalmente esses grupos em volta de propostas criativas e inovadoras”, aponta Varela.

Diferentemente do pensamento cartesiano, em que a análise dos fenômenos é feita a partir da junção das partes estudadas individualmente, a complexidade busca compreender o todo que emerge das interações entre as partes. “Em um dos exemplos mais transparentes, sabe-se que por mais que se conheça a fisiologia de um neurônio, muito pouco se sabe sobre propriedades como os processos cognitivos que emergem das interações entre os neurônios”, ilustra Varela.

Pesquisa

Varela concluiu o seu doutoramento em Ciências Naturais na Universidade Livre de Berlim, Alemanha, em 2003, após três anos e meio de pesquisa no Instituto Fritz Haber da Sociedade Max Planck. O tema de sua tese foi auto-organização dinâmica na interface sólido/líquido, desenvolvida no Departamento de Físico-Química, dirigido na época pelo Prof. Gerhard Ertl, laureado com o Prêmio Nobel de Química de 2007.

De volta ao Brasil em 2004, Varela foi convidado pelo professor Sérgio Mascarenhas para criar o grupo de trabalho no IEA-SC. “Penso que o GT tem uma importante missão aglutinadora e pode contribuir para o desenvolvimento da disciplina de complexidade no Brasil”. Sobre o caráter interdisciplinar que caracteriza o IEA-SC, conclui: “sem dúvida, a criação do GTCS no IEA-SC amplia consideravelmente a possibilidade de interação entre pesquisadores de diferentes áreas, com interesse comum em sistemas complexos.”.

Experimentos mostram que em sistemas químicos reacionais algumas reações conduzidas longe do estado de equilíbrio podem apresentar comportamento complexo na forma, por exemplo, de oscilações nas concentrações de alguns intermediários. Nesse caso, é interessante utilizar tais sistemas químicos simples como sistemas-modelo para mimetizar processos mais complexos e muitas vezes menos acessíveis, como os biológicos.

A equipe de Varela no IQSC, formada por cerca de quinze estudantes de graduação e pós-graduação, tem se dedicado recentemente à investigação da formação de estruturas auto-organizadas que emergem durante reações de oxidação eletroquímica de moléculas como hidrogênio, metanol e etanol. Além do aspecto fundamental, as informações obtidas sobre as reações podem ser úteis em aplicações práticas como, por exemplo, em células a combustível.

Para o professor Sérgio Mascarenhas, “este é o momento de traduzir as teorias de complexidade para ferramentas de resolução de problemas.” Em sua opinião, a capacidade de ver contextos maiores e aspectos de cooperação de alguns problemas naturais e sociais mudou a face da ciência moderna. “Com os sistemas complexos podemos resgatar a dimensão simbólica e estética do fenômeno científico”, conclui.

About these ads

3 Comentários

Arquivado em Geral, São Carlos

3 Respostas para “Sistemas complexos é tema de novo grupo de trabalho na USP

  1. Roberto G. S. Berlinck

    Prezados Profs. Mascarenhas e Varela,

    Congratulo-os pela excelente iniciativa.

    cordialmente,
    Roberto Berlinck

  2. Parabéns pela iniciativa dos professores, o campo de Sistemas Complexos é um tema emergente de extrema importância acadêmica.
    No sentido de auxiliar a fluidez de informação e o conhecimento de outros grupos de pesquisa na USP, já existe desde 2006 um grupo de pesquisas dedicado a Sistemas Complexos: Grupo Interdisciplinar de Física da informação e Economia (GRIFE), da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH). Vide:

    http://each.uspnet.usp.br/grife/

    O grupo recentemente teve a pós-graduação em Modelagem de Sistemas Complexos aprovada pela CAPES e instalada na USP, vide:

    http://each.uspnet.usp.br/grife/sistemascomplexos.htm

    Outro grupo de pesquisa dedicado ao tema na USP é o COMPLEX, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA).

  3. anna flora

    parabéns! e quando organizarem workshop me avisem: escritora de livros de ficção para crianças pode participar de sistemas complexos?
    abraços do tapete voador, anna flora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s