Ministro recebe medalhistas de Olimpíadas de Física

Nove estudantes do Ensino Médio de todo o Brasil que se destacaram no México e no Chile foram até Brasília

Reportagem: Michel Lacombe

O Ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Machado Rezende, recebeu, na última terça-feira (17), em Brasília (DF), os nove estudantes do Ensino Médio que se destacaram tanto na 40º Olimpíada Internacional de Física, ocorrida em julho no México, como os da 14ª Olimpíada Iberoamericana, que aconteceu no mês de setembro, no Chile.

Durante o encontro, os estudantes, vindos dos estados de São Paulo, Pernambuco e Ceará, foram acompanhados pelos coordenadores da Olimpíada Brasileira de Física (OBF), responsáveis pela seleção desses alunos. O treinamento para as provas internacionais acontece no Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP) em São Carlos, sob a coordenação do Professor Doutor Euclydes Marega Júnior. No total, o Brasil ganhou quatro medalhas e uma menção honrosa na Olimpíada Internacional de Física e na competição Iberoamericana, conquistou uma medalha de ouro e três de prata.

Dentre os participantes a única representante do sexo feminino era Luana de Assis, de 16 anos, que foi medalha de prata na Olimpíada ocorrida no Chile. Sua pretensão é cursar Física na USP. O outro medalhista foi Leonardo Stedile, que trouxe bronze do México. Ele ainda está em dúvida quanto a escolha do curso que irá prestar no vestibular: Física ou Engenharia. A universidade preferida também não foi definida. As principais opções do estudante são a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) ou a USP, sem descartar, também, a possibilidade de fazer a graduação nos Estados Unidos.

Jose David Viana, presidente da comissão da OBF afirmou, durante o evento, que cresceu o número de estudantes que participam das Olimpíadas de Física. Segundo ele, em 1999, apenas 10 mil participavam. Neste ano, a marca chegou a 300 mil. O número de Estados participantes também cresceu. Antes eram 13, agora todos participam, incluindo o Distrito Federal.

Para Sérgio Rezende, é necessário ampliar o número de eventos como a OBF, pois ela motiva os jovens, os professores e os diretores das escolas. “As Olimpíadas nas escolas são importantes porque estimulam o estudo. Quando o estudante está competindo, ele coloca em ação sua máxima energia e estuda mais”, ressaltou o ministro.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s